Mundo Sortido

Mundo Sortido

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Lendo o Livro Guerreiras de Oração de Stormie Omartian

Estou lendo o livro com o título Guerreiras de Oração de autoria de Stormie Omartian. Que livro ótimo!
Antes da leitura, eu tinha a ideia pura e simples de que nosso Deus já é vencedor e ponto. Mas o livro, além disso, nos apresenta também a seguinte visão:
Nosso Deus já é vencedor, mas pra adiante disso, nossas batalhas serão muito menos complexas a partir do momento que nos agarramos a Ele e mostramos que estamos do lado do exército Dele. Não apenas nos conformarmos que estamos num bom lugar, mais um rosto na multidão, mas sim, assumirmos uma parte do controle de lutar no exército Dele.
Não sei se consegui me fazer entender, mas em suma, seria estar mais do que no anonimato, mas mostrando a cara como guerreira do exército de Deus.
Fiquei muito impactada, e confesso que já pensei muito em algumas palavras que chegaram a mim em forma de profecia. Isso mesmo. Algumas pessoas já profetizaram em minha vida, de meus 16 a 20 anos. Confesso também que ao me lembrar de muitas daquelas palavras, meus olhos se enchem de lágrimas, como agora estão.
Eu sinto que tenho um chamado, que cada uma daquelas palavras foram verdadeiras. Mas sabe como é o humano né??? Há algum tempo atrás questionei uma pessoa que falou profundamente para minha vida. Porque o lado humano da gente insiste em querer dizer que: imagina, isso não tem como acontecer! Ding dong, a realidade bate a porta!!!
Mas a pessoa que profetizou me afirmou que já fazia muitos anos, e que a única que poderia lembrar das palavras seria eu, que ela já não se lembrava mais. Sim, eu lembro de todas, cada uma delas. Ela também me disse que se ela disse, ela apenas entregou algo de Deus pra mim, e se é de Deus, as palavras não serão frustradas.
Como o humano da gente continua existindo, porque somos falhos, ainda me sinto em dúvida às vezes. Foram faladas palavras muito específicas, mas é inevitável que como Sara, nós sempre procuramos uma solução mais fácil, para dizer que a palavra já foi cumprida. Assim como Sara deu Agar para gerar o filho de sua velhice, enquanto Deus havia prometido ao ventre de Sara, eu confesso que às vezes penso igualzinho!!! IGUALZINHO!!!
Eu penso: talvez Deus queira fazer o que foi profetizado não exatamente como foi profetizado, mas indiretamente, e talvez já tenha até feito, vai saber...
Bom, fato é que algumas palavras iniciais do livro de Stormie Omartian martelaram meu coração, sabe, como se batesse bem, bem forte!!!
As palavras são essas que seguem:

SE VOCÊ ACREDITA NÃO TER AS QUALIDADES NECESSÁRIAS PARA SER UMA GUERREIRA DE ORAÇÃO ou está preocupada com as dificuldades da batalha, ou ainda pensa que NÃO TEM TEMPO PRA ISSO, deixe-me fazer algumas perguntas:
Sente-se incomodada ao ver alguém sofrendo? Quer fazer algo para aliviar o sofrimento alheio, mas não se sente capaz de fazer o suficiente? Em caso afirmativo, você tem o coração de uma guerreira de oração.
Reconhece o mal proliferando no mundo? Anseia encontrar uma forma de conter a destruição na vida das pessoas? Em caso afirmativo, você tem o coração de uma guerreira de oração.
Sofre alguma injustiça em sua vida ou pode identifica-la na vida de outros? Vê a injustiça marchando adiante num avanço que parece irrefreável? Incomoda-se com isso e gostaria de mudar essa situação? Em caso afirmativo, você tem o coração de uma guerreira de oração.
Observa coisas erradas acontecendo ao seu redor e deseja corrigi-las? Vê a cultura do ódio tornando-se cada dia mais forte e isso a incomoda?
Sente um  peso no coração em relação a alguém e se preocupa com essa pessoa sem saber porque?
Vê tragédias acontecendo o tempo todo e se sente incapaz de fazer algo para mudar isso?
Sente tristeza profunda ao ver pessoas deliberadamente desprezando Deus e seus caminhos?

O trecho é mais longo, mas resumi apenas nas perguntas.
Ao que a autora finaliza:

Na verdade, se você respondeu afirmativamente a pelo menos uma dessas perguntas, tem o coração de uma guerreira de oração.
A guerreira de oração tem o coração compassivo por pessoas em sofrimento e por situações ruins e deseja realizar algo que fará a diferença.

SENTI UM BAQUE.
UM BAQUE DOS FORTES.

Leia o livro e me entenderá...

Bjs,

Grazi 

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Desabafo de uma mãe louca! - Blog Psicólogo

Oiê, tudo bem com vocês???

Agora nem sei se alguém vai ler, rsrsrs, afinal de contas, faz tanto tempo né...
Hoje já estou bem melhor meu blog psicólogo... Mas ontem, ahhh, chorei...
Acho que essas pessoas como eu são neuróticas, psicóticas, sei lá. Mas não sabem se controlar, é algo nosso uai...
Não via a hora, quando era criança, de começar a estudar. Desde o primeiro dia de aula até o último dia de aula sempre sentei nas primeiras carteiras da sala, nunca, nunca nas últimas.
(Tá, agora que você já leu isso e me odiou por isso também, se é que você está lendo, pode por favor não me julgar??? Ok, continuemos)
Ocorre que essa semana, fui até a escola todos os dias, levar minha granduxa pra iniciar seus estudos no primário. Como não matamos as pessoas pisoteadas, e tivemos educação, esperamos os outros entrarem e então adentramos a sala.
Consegui somente a terceira carteira para a Lulu, mas ok, ainda está relativamente na frente.
Isso também vem muito da minha formação. Durante a faculdade, e especialmente a especialização EM ENSINO, muitas vezes discutimos isso.
E ontem, o que aconteceu? Cheguei na classe e ela estava na última carteira, pra acompanhar a amiguinha. Amiguinha essa que já estava sentada ao lado dela, que o vovô dela colocou na carteira. Mas, as duas foram acompanhar uma terceira amiguinha.
A Lulu estava na última carteira. Minha mente só dizia assim lá dentro: A Lulu está na última carteira, a Lulu está na última carteira...
Gente, sou louca, louca mesmo, tipo dona Hermínia, saca? LOUCA!
Dentro da minha cabeça já tava traçando o que ia acontecer na faculdade, acha que ia ter faculdade? kkkkkk (SOU LOUCA)
Fato é que já cheguei chorando em casa... kkkkkkk Falei pra Lulu durona que lá não era o melhor lugar para se aprender, que ela deveria voltar ao lugar onde tinha colocado ela. A loucona aqui mandou um bilhete pra professora pra que colocasse a Lulu na frente, pois seria melhor para o aprendizado dela, etc etc. Essas conversas de mãe neurótica...
Hoje fui buscá-la. Ela toda contente me disse: Mamãe, mamãe, olha, agora estou até mais na frente! A prof. fez um mapa de sala e ela ficou na segunda carteira. Pensa num alívio... SOU LOUCA.
Mas, entre mortos e feridos, por enquanto salvaram-se todos.
E o que fica de lição:
Quando somos pais, é incrível como queremos MINI MIMS, queremos que nossos filhos sejam IGUAIZINHOS a nós! E estou aprendendo bem aos poucos, do tipo de conta gotas, o quanto isso não procede. 
CONCLUSÃO: Meu querido blog psicólogo e meus queridos leitores, bom, espero que tenha alguém aí. (se tiver, me manda um alôzinho!)
SOU UMA LOUCA MÃE!

Bjs,

Grazi